domingo, fevereiro 05, 2017

O que faz o Produtor Independente?



Recebendo a atriz e diretora de cinema Malu Mader e o músico e escritor Tony Bellotto

no espetáculo "Domando a Megera" do Grupo Nós do Morro no Rio de Janeiro






Por Alê Barreto
Uma pessoa que dissemina conhecimentos e atua em redes para promover mudanças



Este texto não é uma resposta genérica a tudo que qualquer produtor independente faz ou pode fazer. Trata-se de um texto em que falo sobre mim, sobre o que faço ou posso fazer.

Segundo a tradição chinesa, o ano novo começou dia 28 de janeiro. A chegada do ano novo chinês coincidiu com o fim das minhas férias. Então, além de retornar às minhas atividades, hoje é um dia de transformação.

Quanto falamos em transformação, pensamos quase que automaticamente em grandes ações. Há um hábito de se pensar a importância das ações de acordo com a atenção que possam despertar no meio social em que vivemos ou nas redes sociais. Damos pouca atenção para as pequenas ações. Mais raro ainda é pensarmos na importância das micro ações, apesar destas serem o DNA das transformações.

As transformações são processos que começam muito antes das ações e das pequenas ações. Começam com as micro ações. Uma árvore gigantesca cresce não apenas pela pequena ação do plantio, que é extremamente importante, mas cresce porque ao longo dos minutos, horas, dias, semanas, meses, anos, milhares de micro ações acontecem e impulsionam o seu desenvolvimento.

Nas carreiras artísticas e criativas, as transformações são vistas quando relacionadas aos grandes marcos, como lançamento de um livro, gravação de um álbum musical, abertura de uma exposição, aparição na TV, rádio, jornais. Todas estas ações só são possíveis quando um universo de micro ações tem início.

Acreditando que num cenário de crise devemos aumentar nosso esforço e investimento, vou começar 2017 buscando aprender mais sobre como comunicar meu trabalho.

Na busca de agregar mais valor para parceiros e organizações, resolvi iniciar meu ano novo chinês com a micro ação de falar o que eu faço e falar um pouco sobre o que já fiz. É algo simples. A ideia é estimular diálogos, novas parcerias, novos trabalhos.


Leia mais.



O que faz o Produtor Independente?


Muita gente acha que para alguém avançar em sua carreira profissional é preciso fazer bem somente uma única coisa. Dedicar toda vida somente a uma única atividade.

Muita gente acha que é preciso saber qual é a principal paixão da sua vida e a partir dela decidir somente fazer coisas relacionadas à sua paixão.

Muita gente acha que flexibilidade, adaptação, capacidade de aprender de forma permanente, vontade de encarar desafios e percepção de oportunidades são valores importantes para se construir uma carreira profissional. Eu sou uma dessas pessoas. Por isso, hoje sou consultor, professor, gestor de projetos e produtor independente. Amanhã poderei atuar em setores administrativos, ser funcionário público, trabalhar como funcionário de um departamento de marketing, dar aula em uma faculdade, estudar para ser advogado e muitas outras atividades. Minha trajetória de vida, experiências profissionais, formação em administração, atuação em vários setores da economia e meus valores me proporcionam essa liberdade.


Produção de conteúdo e disseminação do conhecimento


Desde 2006 me dedico a atividades educativas para difundir conhecimentos de organização, produção e gestão. A partir de 2009 comecei a ministrar atividades formativas presenciais.

Muitas destas atividades foram ministradas através de parcerias com conceituadas instituições como Grupo Nós do Morro (RJ), Fórum Internacional do Software Livre (RS), graduação em Gestão Cultural da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (RS), a Incubadora de Arte e Cultura do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (DF), Espaço Cultural Mapati (DF), Instituto Cervantes (MG), Espaço Cultural Letras e Ponto (MG), Galpão Cine Horto (MG), Santander Cultural (RS), Centro Cultural Justiça Federal (RJ), SESC Rio, SP Escola de Teatro (SP), Secretaria de Estado da Cultura de Goiás (GO), Itaú Cultural (SP), Ministério da Cultura (DF), Aliança Francesa (BA), Rio Criativo (RJ) e Rede Acreana de Cultura (formada pelo Serviço Sebrae AC, Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour, Fundação Municipal de Cultura Garibaldi Brasil, Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Sesc Rio Branco, Sesi, Centro de Multimeios, Universidade Federal do Acre e representação do Ministério da Cultura em Rio Branco).

Hoje mais de 800 pessoas já participaram de 40 atividades formativas nos estados do Rio de Janeiro, Distrito Federal, Goiás, Acre, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, São Paulo, Sergipe, Maranhão e Minas Gerais.


Um pequeno resumo desta caminhada:





- criação do blog "Produtor Cultural Independente" em 2006, que passou a se chamar apenas "Produtor Independente", uma plataforma onde há dez anos é compartilhado conhecimento sobre gestão e produção cultural, cultura, entretenimento, artes. O blog faz parte da Blogosfera do Programa de Gestão Cultural da Universidade de Barcelona;





Livro "Aprenda a Organizar o Show" recomendado no jornal O Globo



- lançamento do livro "Aprenda a Organizar um Show", lançado de forma livre e gratuita na plataforma do portal colaborativo Overmundo em 2007 (mais de 26 mil downloads);






- entrevista concedida para a reportagem "O que faz um show dar certo ou errado", realizada pelo jornalista Fausto Coimbra, capa do Caderno Dois do Jornal "Tribuna de Minas", de Juiz de Fora, Minas Gerais, em 2010;






- artigo "O Desafio da Formação da Rede" na revista "Cultura em Rede: a experiência da Rede Acreana de Cultura", onde fala sobre o trabalho de formação realizado com artistas e produtores do Estado do Acre nos anos de 2009 e 2010;





- curso de extensão "Aprenda a Organizar um Show" realizado em parceria com o curo de graduação em gestão cultural da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) em 2010;






- entrevista para a matéria "A experiência de jovens músicos no mercado de bares, restaurantes e casas de show" publicada na Revista Nós n.5 do programa Rede Cultura Jovem do Espírito Santo, realizada por Adriano Zucolotto Martins, Eduardo Lucas da Silva, Gabriela Costa e Sâmya Leviori, em 2012;






aula "Começar a fazer: caminhos e disputas no exercício da gestão e da produção cultural" no Programa de Capacitação em Projetos Culturais, em Brasília, em julho de 2012, ação formativa desenvolvida pelo Ministério da Cultura (Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura e Diretoria de Direitos Intelectuais da Secretaria de Políticas Culturais) (DDI/SPC), SESI e Itaú Cultural;

O Programa de Capacitação em Projetos Culturais teve como objetivo oferecer conteúdo prático e teórico para atuação na área cultural, envolvendo a compreensão das diversas dimensões que permeiam as atividades dos profissionais que atuam no setor, a fim de qualificar os participantes para planejar e gerir projetos e produtos culturais, além de obter financiamento. Veja a avaliação do encontro realizada pela Fundação Getúlio Vargas.






- artigo “Elementos para se pensar uma carreira profissional artística e criativa” publicado na revista acadêmica Cadernos do CEOM (Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina), número 39, da Universidade Comunitária de Chapecó (SC) UNOCHAPECÓ, edição especial sobre os temas Economia Criativa e Economia da Cultura em dezembro de 2013;






- entrevista "O setor de cultura precisa se organizar" concedida para o caderno de cultura do jornal "A Tarde" de Salvador, em outubro de 2013;






palestrante da Semana de Gestão e Políticas Culturais de Belo Horizonte (MG) em 2014, para o qual foram convidados professores e gestores culturais do Ceará, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Entre os convidados estavam Albino Rubim, José Marcio Barros, Bernardo da Mata Machado, Isaura Botelho, Ana Paula do Val e Humberto Cunha.







- debatedor no seminário "Geografia da Criatividade" promovida pelo SEBRAE Goiás em 2015;







- palestra e oficina sobre "Carreiras Artísticas e Criativas" na III Semana da Inovação, Economia Criativa e Digital do Estado do Acre na Uninorte em Rio Branco;







- oficina "Gestão de Carreiras Criativas" realizada em parceria com a Rio Criativo em 2015;








- entrevista concedida para a matéria "Produção cultural movimenta economia e cria oportunidades no mercado de trabalho" do Jornal Extra (extra.globo.com), Rio de Janeiro, maio de 2016;










lançamento do livro "Carreira Artística e Criativa", primeiro lançamento do selo Produtor Independente;





- apresentação do trabalho do Produtor Independente na mesa "Experiências de Produção Independente" juntamente com Alemberg Quindins (Fundação Casa Grande) e Eduardo Felix (Grupo Pigmalião) no seminário "Outros Olhares: Produção Cultural e Sustentabilidade na Latino América", na Vila das Artes em Fortaleza (CE), em 2016.





[Gostou do conteúdo? Comente para pessoas que tenham interesse no tema e divulgue no seu mailing e redes sociais. Obrigado! Se você achar que o texto não ficou claro, envie sugestões de melhorias para alebarreto@gmail.com Quero aprender com você. Cadastre-se e receba conteúdos enviando seu e-mail para alebarreto@gmail.com]





Produção de eventos culturais e de entretenimento

Montagem e logística de shows, espetáculos, festivais.


Alguns trabalhos realizados:



Acústico MTV Bandas Gaúchas


- serviços de produção executiva para Opus Promoções, empresa que produz entretenimento e espetáculos há quatro décadas em Porto Alegre, em shows regionais (Acústico MTV Bandas Gaúchas com Bidê ou Balde, Cachorro Grande, Wander Wildner e Ultramen), show nacionais (Marcelo D2, Paralamas do Sucesso, Ivete Sangalo), shows internacionais (Avril Lavigne, Steel Pulse, Scorpions, Whitesnake) e festivais (Claro que é Rock, Motomix, IBest Rock, Live n´ Louder).




Produção executiva e projetos


Alguns trabalhos já realizados:




Cláudio Lins



- produção executiva junto com Maria Braga Produções do show de lançamento do CD "Cara" (gravadora Biscoito Fino) de Cláudio Lins, Rio de Janeiro;


- direção de palco do show "Tarde da música afro-gaúcha" no Auditório Araújo Vianna, em Porto Alegre;



Livro "Rio: um olhar viajante"



- coordenação administrativa e gestão de leis de incentivo do projeto "Rio: um olhar viajante", da fotógrafa Mirian Fichtner, Rio de Janeiro;


- produção executiva do musical "Missa dos Quilombos", de , encenado pela Cia Ensaio Aberto, no Armazém da Utopia, Rio de Janeiro;

- produção executiva do livro e exposição "Nós do Morro 20 anos", no Espaço Furnas, Rio de Janeiro, juntamente com Martha Avelar da EmCartaz Empreendimentos Culturais;



Divulgação do projeto "Nós do Morro 20 anos"


- produção executiva do espetáculo "Machado a 3x4" do Grupo Nós do Morro, no Itaú Cultural, São Paulo, juntamente com Martha Avelar da EmCartaz Empreendimentos Culturais;



Nós do Morro em Londres em 2008


- pré-produção da temporada do espetáculo "Os Dois Cavalheiros de Verona" no Barbican, Londres.



Assessoria em gestão de carreiras artísticas e criativas

Assessoria em planejamento de carreira, produção executiva, contratos, estratégias de comunicação e agenciamento.


Alguns trabalhos já realizados:





Pearls Negras



- como gestor do Grupo Nós do Morro, prestou assessoria na organização da primeira etapa da carreira das Pearls Negras, juntamente com a advogada Paula Heleno Vergueiro, do escritório Siqueira Castro Advogados, durante o processo de contratação do grupo pelo selo inglês Bolabo Records (2013-2014). O grupo agora chama-se ABRONCA e atualmente está lançando o single "Chegando de assalto" pelo selo Heavy Baile Sounds, mesmo que lançou "Bandida" da MC Carol.




Pata de Elefante ao vivo no SESC em São Paulo



- empresário e produtor executivo da banda Pata de Elefante (2007-2008)







- produtor executivo da banda Bataclã FC (2005-2007).





[Gostou do conteúdo? Comente para pessoas que tenham interesse no tema e divulgue no seu mailing e redes sociais. Obrigado! Se você achar que o texto não ficou claro, envie sugestões de melhorias para alebarreto@gmail.com Quero aprender com você. Cadastre-se e receba conteúdos enviando seu e-mail para alebarreto@gmail.com]





Administração e apoio à gestão de empresas e organizações (ONGs)


Alguns trabalhos já realizados:





Escola de Música da Rocinha, favela da Rocinha, Rio de Janeiro - gestão e produção cultural durante o processo de implantação da Orquestra de Música da Rocinha, 2015.





Grupo Nós do Morro, favela do Vidigal, Rio de Janeiro - administrador, produtor executivo, gerente de projetos e conselheiro fiscal. Assessorou a diretoria no planejamento, processos de gestão da organização, projetos e na relação com governos, patrocinador, apoiadores e parceiros institucionais, por dois períodos: 2008 a 2009 e 2013 a 2015.







Observatório de Favelas, favela da Rocinha, Rio de Janeiro - gestão do projeto Solos Culturais (www.solosculturais.org.br), responsável pela articulação institucional junto a organizações governamentais e comunitárias parceiras do projeto, produção executiva das ações pedagógicas, artísticas e culturas, acompanhamento do processo educativo e de pesquisa, supervisão de pesquisa de campo e gestão do projeto, de fevereiro de 2012 a fevereiro de 2013.



[Gostou do conteúdo? Comente para pessoas que tenham interesse no tema e divulgue no seu mailing e redes sociais. Obrigado! Se você achar que o texto não ficou claro, envie sugestões de melhorias para alebarreto@gmail.com Quero aprender com você. Cadastre-se e receba conteúdos enviando seu e-mail para alebarreto@gmail.com]

Nenhum comentário: